sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Ande a pé: admire a cidade - Campanha é criada para melhorar o trânsito em Tiradentes

No último fim de semana prolongado, dias 13 a 15, começou a ser implantado, em Tiradentes, o plano de ação “Ande a pé: admire a cidade”. A iniciativa da Tiradentes Brasil e da Câmara Municipal de Tiradentes tem por objetivo conscientizar os turistas a deixarem seus veículos nas pousadas e hotéis, deslocando-se pela cidade em táxis, charretes ou a pé. A medida visa atenuar o caos que se torna o trânsito na cidade durante os feriados e eventos de grande porte. Contudo, ainda precisa se pensar em projetos definitivos, como estacionamentos fora do Centro, seguidos de serviços de transporte interno.
Foram editados 10 mil panfletos, pela Tiradentes Brasil, com apoio da Prefeitura de Tiradentes e da Policia Militar, divulgando as dicas e incentivando os visitantes a procurarem meios alternativos de transporte, evitando a concentração de automóveis no centro histórico. O material está sendo distribuído em hotéis, comércios, pontos turísticos e deve ser veiculado nos meios de comunicação local. A Polícia Militar, também, participa da iniciativa, realizando blitzes educativas na entrada do município.
A comandante da 190ª Companhia de Polícia Militar, capitã Sandra Aparecida de Souza, contou que, nos finais de semana, circulam cerca de 5 mil veículos em Tiradentes. “Em eventos de grande porte, esse número se multiplica e as ruas ficam caóticas. A campanha está sendo lançada, justamente, pelo grande fluxo de veículos e turistas. Com isso há a necessidade de uma ação mais coordenada e pró-ativa”, disse a capitã.

A campanha
A campanha conta com a participação de representantes de pousadas, comércio, autoridades e moradores que se preocupam com o bem-estar. Os turistas são orientados a deixar os carros nas pousadas e nos lugares mais distantes.
O procurador da República em São João del-Rei e região, Antônio Arthur Barros Mendes, considerou a iniciativa louvável ao afirmar que a campanha tem o objetivo de evitar a confusão de veículos nas ruas e o mal-estar no trânsito. “Isso garante que Tiradentes mantenha suas características. Caso contrário, o turista vai passar a se incomodar, se já não se incomoda, porque sai da cidade grande procurando calma e tranquilidade, mas encontra desorganização e dificuldades para estacionar”, argumentou Antônio Arthur.
O procurador ressaltou, porém, que o plano não pode se limitar à distribuição de panfletos contendo orientações. Devem organizar-se estruturas alternativas de transporte, como os táxis, para que os visitantes não fiquem sem opções.
O vereador Rogério de Almeida (PT) reforçou o posicionamento do procurador. Para o edil, as medidas tentam atenuar o impacto do trânsito na cidade e propiciar o bem-estar aos moradores e aos turistas. No entanto, faltam políticas públicas. “A campanha é um primeiro passo. Isso tem que ser continuado durante o próximo ano. Plantamos a semente, sabemos que isso não resolve, mas pode atenuar o problema. Vamos colher resultados gradativamente”, observou o vereador.

Futuro
A capitã Sandra de Souza afirmou que faltam locais para se parar o carro no centro histórico. “A cidade fica tomada por veículos de fora, pois recebemos turistas de cidades vizinhas, outros Estados e, até, países. Os visitantes param, inclusive, em praças e locais tombados; o que não é permitido”, contou a capitã.
Já começam, por isso, a serem discutidas ideias para criar alternativas definitivas para o trânsito. Segundo o procurador Antônio Arthur, a tendência é a construção de bolsões de estacionamento fora do Centro “e serviços de leva-e-traz, que podem desafogar as vias e, ainda, gerar renda para o município”.
O operador de turismo Wladimir Loyola disse que “se cria uma repulsa ao ver uma cidade tão bonita como Tiradentes toda cheia de automóveis”. Ele afirmou que o ideal seria evitar a entrada de veículos no centro histórico. “Está na hora de se pensar em estacionamentos nas redondezas. Precisamos analisar isso em conjunto com o Executivo”, apontou Wladmir.

"Estive em Tiradentes e realmente o trânsito complica mesmo no final de semana. O centro para e as filas de veículos são grandes, causando pequenas esperas e transtornos. A Prefeitura não parece ter soluções pontuais ou projetos futuros que possam resolver o problema. Não acredito que a conscientização dos turistas a andar a pé seja muito eficaz, mas já é uma iniciativa louvável que precisa ser amparada por outras ações."

Um comentário: